terça-feira, 19 de abril de 2016

Nefilim: A raça híbrida que teria habitado a Terra


 A palavra ‘Nefilim’ é a pronúncia não traduzida do hebraico ‘amigo caído’, um tirano, gigante e, em algumas traduções do inglês, ela se referia aos gigantes.  De forma interessante, no grego Septuagint, ‘Nefilim’, foi usada para descrever gigantes.

Porém, a mesma palavra ‘Nefilim’ também é usada frequentemente quando descreve a raça de gigantes que habitavam Canaã na época da conquista dos israelitas, de acordo com Números 13:33.

Contudo, há uma confusão considerável ao redor destes seres misteriosos que, de acordo com os textos antigos, eram reais e habitavam a Terra no passado distante.

Olhando para os textos antigos, notamos que na Bíblia Hebraica, a palavra ‘Nefilim’ ocorre em duas ocasiões, ambas as vezes no Torá, a primeira vez em Genesis 6:1-4, logo antes da história da arca de Noé, e a segunda vez em Números 13:32-33, quando espiões enviados a Canaã reportam ter visto ‘gigantes temíveis’.

Genesis 6:4 ‘Naqueles dias, havia nefilins na terra, e também posterior­mente, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens e elas lhes deram filhos. Eles foram os heróis do passado, homens famosos.’

Números 13:33 ‘Também vimos ali gigantes, filhos de Anaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos.’

Olhando para a definição de Nefilim, é difícil compreendermos a natureza destes seres, já que Genesis 6:4 torna difícil sua compreensão e diferenciação, se estes seres são de fato os ‘filhos de Deus’, ou sua prole, os quais são “heróis do passado, homens famosos”.  Talvez seja óbvio interpretar os Nefilins como são descritos: uma raça híbrida entre seres distintos.  Isto nos leva a uma das questões mais importantes e controversas quando se fala a respeito de Nefilins: Seriam eles uma raça extraterrestre híbrida?  Bem, de acordo com os fatos acima, a resposta é SIM.

A maioria dos autores concordam firmemente que os Nifilins eram de fato uma raça híbrida entre ‘os anjos caídos’, chamados de Benei Ha’Elohim (“Filhos de Deus”) em hebraico, o que significa que esses seres não eram nativos da Terra, mas eram, de fato, descendentes dos anjos caídos.

De forma interessante, em muitos textos religiosos antigos os Nefilins são referidos como gigantes ou titãs, enquanto muitos outros textos antigos falham em explicar o que eram esses seres.

A Bíblia claramente declara, e é usado como interpretação tradicional, que ‘seres celestes’ cruzaram com humanos. Esta alegação é extremamente controversa e rejeitada por muitos.

No Livro “apócrifo”de Enoque, o seguinte texto é usado para descrever os Nefílins:

E aconteceu depois que os filhos dos homens se multiplicaram naqueles dias, nasceram-lhe filhas, elegantes e belas.  E quando os anjos, os filhos dos céus, viram-nas, enamoraram-se delas, dizendo uns para os outros: Vinde, selecionemos para nós mesmos esposas da progênie dos homens, e geremos filhos.  Então seu líder Samyaza disse-lhes: Eu temo que talvez possais indispor-vos na realização deste empreendimento; E que só eu sofrerei por tão grave crime.

Mas eles responderam-lhe e disseram: Nós todos juramos que não mudaremos nossa intenção mas executamos nosso empreendimento projetado.  Então eles juraram todos juntos, e todos se amarraram (ou uniram) por mútuo juramento. Todo seu número era duzentos, os quais descendiam de Ardis, o qual é o topo do monte Armon.  Aquele monte portanto foi chamado Armon, porque eles tinham jurado sobre ele, e amarraram-se por mútuo juramento.

Estes são os nomes de seus chefes: Samyaza, que era o seu líder, Urakabarameel, Akibeel, Tamiel, Ramuel, Danel, Azkeel, Saraknyal, Asael, Armers, Batraal, Anane, Zavebe, Samsaveel, Ertael, Turel, Yomyael, Arazyal. Estes eram os prefeitos dos duzentos anjos, e os restantes estavam todos com eles.

Então eles tomaram esposas, cada um escolhendo por si mesmo; as quais eles começaram a abordar, e com as quais eles cohabitaram, ensinando-lhes sortilégios, encantamentos, e a divisão de raízes e árvores.

E elas [as mulheres] geraram a eles as Sentinelas gigantes. Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e tornou-se impossível alimentá-los; Então voltaram-se contra os homens, a fim de devorá-los; E começaram a ferir pássaros, animais, répteis e peixes, para comer sua carne, um depois do outro, e para beber seu sangue. Sua carne, um depois do outro.

Ou, “de uma outra carne”. R.H. Charles nota que esta frase pode referir-se à destruição de uma classe de gigantes por outra. (Charles, p. 65). 15

Então a terra reprovou os injustos.

Além disso, Azazyel ensinou os homens a fazerem espadas, facas, escudos, armaduras (ou peitorais), a fabricação de espelhos e a manufatura de braceletes e ornamentos, o uso de pinturas, o embelezamento das sobrancelhas, o uso de todo tipo selecionado de pedras valiosas, e toda sorte de corantes, para que o mundo fosse alterado.

A impiedade foi aumentada, a fornicação multiplicada; e eles transgrediram e corromperam todos os seus caminhos.

Amazarak ensinou todos os feiticeiros, e divisores de raízes: Armers ensinou a solução de sortilégios; Barkayal ensinou os observadores das estrelas; Akibeel ensinou sinais;  Tamiel ensinou astronomia; E Asaradel ensinou o movimento da lua,

E os homens, sendo destruídos, clamaram, e suas vozes romperam os céus.

– Enoch 6-7.


Fêmur Humano de 1,20 metros:  No final da década de 1950, durante construções de estradas no sudeste da Turquia, no Vale do Eufrates, muitas tumbas contendo os restos de gigantes foram desenterradas.  Em dois locais, os ossos da pernas tinham aproximadamente 120 centímetros. Joe Taylor, Diretor do Museu Fóssil Mont Blanco, em Crosbyton, Texas – EUA, foi comissionado a esculpir em escala este fêmur humano que é anatomicamente correto. Este gigante tinha 4,2 a 4,9 metros de altura, e pés de 50 a 55 centímetros. As pontas de seus dedos, com o braços ao lado de seu corpo, estariam a aproximadamente 1,80 metros de altura do solo.

0 comentários:

Postar um comentário